domingo, 15 de junho de 2014

Zonotrichia capensis

Iniciando a folhagem onde o casal fez o ninho e a fêmea está perto dos filhotes.
Vou refazer o dorso do macho... muito simétrico!!! Nossa mente é muito lógica para a estética natural!!! Esse é um exercício constante!! Entender a beleza no caos!!!!!!







Macho quase finalizado.
Trabalhando as folhagens....







Seguindo com o cantor das madrugadas!!!
Minha vida é assim assim... onomatopeia do seu canto.
Vocalização do Tico-tico










E o Tico-tico vai nascendo...








De vez em quando é bom limpar a palheta, no caso um prato de plástico, onde faço as misturas... normalmente é uma confusão de tintas que as pessoas não acreditam que dali retiro as cores para as ilustrações. Essa é a base onde faço as cores com guaches. Uso os da marca Talens. Para mim, Fantásticos!!!! 
Vou começar a pintar o macho de Tico-tico.











Procurar a composição correta e posicionar os modelos no lugar certo é o maior desafio da pintura!!




Trabalho iniciado de uma ilustração em formato A3 de um casal de Tico-ticos, apresentando ao fundo uma cena rural, dessas que se guarda com carinho em nossas memórias mais afetivas.
Espero que eu consiga retratar com toda a magia que sinto essa paisagem que é muito importante nas memórias do amigo Jair Lopes e de muitos apaixonados por essas áreas rurais e por esse passarinho tão simpático!!!
O fundo em aquarelas e o primeiro plano, retratando um macho cantando e próximo dele, a fêmea em um ninho escondido em um arbusto e seus filhotes que são muitas vezes os filhos do Chupim (Molothrus bonariensis), será retratado em aquarelas e guaches para dar destaque.






3 comentários:

JAIRCLOPES disse...

Lembranças

Da minha infância lembro dos riachos
Dos bagres e lambaris nas corredeiras
Quando pesca de anzol era brincadeira
E toda vida era descontração, eu acho

Iscas de minhocas, rolha, anzol e linha
Bornal atravessado, na cabeça um boné
Mais vontade que peixe, bem mais até
E bastante disposição é o que se tinha

Porém é do tico-tico que mais lembro
Nidificando em meados de setembro,
Quando nos arbustos seu ninho fazia.

Ainda hoje é muito vívida a lembrança
Do quanto fui aquela realizada criança
Que ouvia pio do tico-tico com alegria.

JAIRCLOPES disse...

Natureza

Essa formosura da fresca floresta
Ensombrada pelos velhos pinheiros
Cortada por caminhos e sendeiros,
A exuberância da natureza atesta;

Vaga o caminhante e não estranha,
O tico-tico que com saltitos certeiros,
Que ao clarear é um dos primeiros,
Cujo bico incauta minhoca apanha;

Essa extraordinária avifauna assim
Para nós oferece ampla variedade
A qual demonstra ao mundo enfim,
Belezas tais que raiam a vaidade;

Por causa disso neste espaço vim
Registrar esta minha cumplicidade.

JAIRCLOPES disse...

Vida dura

Animado tico-tico de minha infância
Em sua intimidade de vida familiar
Lembra o descampado da estância
Na qual nasci em Palmeira meu lar.

Ficará eternizada na minha parede
A avezinha símbolo da usurpação
Porquanto em seu ninho hospede
Filho do chupim que rouba-lhe pão.

Porquanto o chupim lhe dá calote
Colocando um ovo no seu ninho
E tico-tico cria-lhe esperto o filhote.

Enquanto do tico-tico, o filhotinho
Morre de fome sem que este note
E mamãe tico-tico segue caminho.