quarta-feira, 29 de maio de 2013

Augastes scutatus

Beija-flor-de-gravata-verde (Augastes scutauts) Uma jóia das montanhas mineiras Pelos cumes das altas serras da região do Espinhaço, em Ouro Preto e região, na serra do Cipó e do Grão Mongol e na importante região do Caraça, esvoaça um pequeno beija-flor que pode passar facilmente despercebido aos olhos menos atentos. De pequeno talhe, cerca de 8 cm e com um movimento constante, o Augastes scutatus é uma das duas espécies de beija-flores deste gênero, sendo, exclusivo de Minas Gerais. Seu primo, Augastes lumachella é baiano. Isso significa que em nenhum outro lugar do mundo se pode ver esse belo trochilinae que é a família que abarca os nossos beija-flores. Especializado em achar alimento nas pequenas flores que teimam em colorir os campos rupestres, ele às vezes passa como um raio de cor entre a neblina que geralmente cobre essas solidões nas manhãs de inverno. Como todos os seus parentes ele se alimenta de néctar e de pequenos insetos que são a sua fonte de proteína. Já tive a oportunidade de observá-lo várias vezes adejando por entre as rochas cheias de liquens e musgos que compõem esse cenário dos picos das nossas famosas montanhas e é indescritível e impossível de retratar com minhas aquarelas todos os tons de cor que ele pode apresentar com uma simples mudança de um raio de sol. Isso, aliás, é muito comum aos beija-flores, pois suas cores são criadas pela refração da luz em suas penas. Prismas alados!!! O mais incrível para mim é imaginar como uma avezinha tão pequena consegue resistir a um meio tão rude, de calor causticante durante o dia e um frio de rachar à noite! Adaptação perfeita!

Um comentário:

JAIRCLOPES disse...

Limerique

Se engana que olha seu tamanho
Se por pequeno o julga tacanho
Essa endêmica ave
De mineiro enclave
É tão rápida como musaranho.